Chip da Beleza – Implante Hormonal Gestrinona

Chip da beleza: conheça a nova aposta feminina

Já imaginou ficar livre da cólica menstrual, TPM, inchaço e celulite de uma só vez? Um novo método recheado de promessas rápidas tem seduzido as mulheres. Trata-se do chip da beleza, nome pelo qual ficou conhecido o implante hormonal de gestrinona que arrebatou celebridades no Brasil.

Sofre de TPM? Então conheça o implante hormonal de gestrinona
Graças ao apelido que recebeu, o chip da beleza tem fascinado mulheres que melhoraram a qualidade de vida.
Apesar do nome, o implante hormonal não é um chip de fato, mas sim um pellet cuja implementação se dá através de uma microincisão na região da nádega.

O implante hormonal não é vendido nas farmácias comuns. A indicação para uso é feita por profissionais médicos especializados, os quais desenvolvem uma fórmula personalizada a paciente.

O tratamento, desenvolvido originalmente como método contraceptivo, hoje também é procurado para aumentar a libido, tonificar a musculatura, queimar gorduras e eliminar a celulite.

Saiba os Riscos do Coronavírus para quem tem doença crônica como Diabetes e Pressão Alta

Todos nós estamos sujeitos a contrair o novo coronavírus. Mas a doença se manifesta de diferentes maneiras em cada organismo, afetando, de forma mais agressiva, principalmente, uma parcela da população considerada como grupo de risco. Não só os idosos estão mais suscetíveis a ter complicações em decorrência da doença. Entram nessa parcela os diabéticos, hipertensos, cardíacos, pacientes com câncer e acometidos por doenças respiratórias crônicas.

A população mais jovem com doenças congênitas também precisa de cuidado extra, já que essas infecções virais geram alterações grandes no aparelho cardiovascular. “Logo, esse grupo mais jovem terá menos chances de ter uma resposta adequada”, indica Urbaez. Enquanto a mortalidade de uma maneira geral fica em torno de 3,5%, no paciente portador de doença cardiovascular, a letalidade chega a taxas de até 10,5%.

Relatórios da Organização Mundial de Saúde (OMS) e do Ministério da Saúde colocam os hipertensos e cardíacos entre os mais suscetíveis à Covid-19. Isso porque as complicações mais graves estão ligadas ao pulmão e ao coração e, quando não há um funcionamento adequado da pressão arterial, bem como do próprio coração, o corpo tem mais dificuldades para vencer a doença.

A médica Ludhmila Abrahão Hajjar, diretora da Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC), detalha de que forma o corpo deste grupo pode ser afetado em casos graves. “Temos o conhecimento baseado nas casuísticas dos últimos dias, pela experiência da China, que o vírus infecta o miocárdio e o sistema cardiovascular, gerando problemas decorrentes da inflamação e da infecção direta do vírus. O sistema cardiovascular é afetado e o paciente pode apresentar arritmias em torno de 15 a 16%, miocardites, insuficiência cardíaca e isquemia miocárdica entre 7 e 10%. De uma maneira geral, o cardiopata é um paciente de maior gravidade, tanto para se infectar quanto para apresentar uma complicação clínica mais forte”, diz a cardiologista.

No caso dos diabéticos, o excesso de glicose no sangue e a tendência para inflamação são fatores que potencializam a vulnerabilidade. “Por terem mais predisposição, esses pacientes diabéticos precisam se preocupar em preservar a imunidade, melhorando a alimentação, fazendo monitoração glicêmica com mais frequência e usando, adequadamente, os remédios”, recomenda a endocrinologista Luciana Corrêa.

O perigo também é maior naqueles acometidos por doenças respiratórias crônicas, já que tanto o sistema imunológico quanto os pulmões são mais enfraquecidos, o que aumenta os riscos de complicações.

No caso das pessoas que passam por tratamento contra câncer, há uma diminuição da imunização, principalmente àqueles com neoplasias hematológicas (como leucemias, linfomas e mieloma múltiplo), que passaram por transplante de medula óssea e que fazem quimioterapia. A Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica alerta para que não haja interrupção dos tratamentos oncológicos. “Assim como toda a população, estes pacientes devem evitar contato físico com outras pessoas”, recomenda.

Idosos
Como têm um sistema imunológico mais frágil em razão da idade e com maior dificuldade de combater um vírus até então desconhecido pelo corpo, uma grande parte dos idosos acaba ocupando os leitos de UTI. “Inicialmente, a idade é o maior fator de risco. Pelas experiências da China, quando o paciente evolui para um caso mais grave, a assistência respiratória com ventilação mecânica e intubação precoce é ordem e o que traz maior evolução do quadro respiratório”, explica a médica especialista em longevidade, Patrycia Tavares.

Justamente para evitar um colapso do Sistema Único de Saúde (SUS), o ministro Luiz Henrique Mandetta destaca que o foco das ações da pasta está em proteger idosos e pessoas com saúde debilitada. “Quanto menos pessoas idosas tiverem a doença, menos utilizaremos os serviços hospitalares“, afirma.

Dados compilados pelo Centro para a Prevenção e Combate a Doenças da China, país de origem do vírus, revelam uma taxa de letalidade de 14,8% nos chineses com mais de 80 anos. O percentual cai para 8% em idosos na faixa dos 70. Quanto mais jovem, menores são os índices de morte, caindo para quase 0% em crianças de até 9 anos.

Além de ter a saúde mais fraca, boa parte da população idosa carrega junto aos anos de vida uma série de doenças desenvolvidas. “As comorbidades estavam presentes em aproximadamente metade dos pacientes, sendo a hipertensão a mais comum, seguido por diabetes e pelas doenças coronarianas”, diz o relatório final do estudo chinês.

O infectologista do Laboratório Exame David Urbaez explica que quanto mais velha a população, mais comorbidades, como diabetes, hipertensão e câncer, ela tende a ter. “No caso de infecções gerais, a idade avançada sempre tem grande peso porque você tem uma desintegração dos mecanismos que podem lutar contra um vírus”, explica. No Brasil, segundo dados de 2018 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), os idosos são cerca de 14% da população.

Vacinação
De forma geral, o Ministério da Saúde aconselha esses grupos de risco a respeitarem as orientações de isolamento domiciliar e a tomarem todos os cuidados de higiene. A vacina contra a gripe também é recomendada e a Campanha Nacional de Vacinação terá início no dia 23 de março, quando idosos e profissionais de saúde terão prioridade para se vacinarem.

A imunização também será priorizada para os demais grupos de risco e, apesar de não apresentar eficácia contra a Covid-19, é uma forma de prevenção para outros vírus, ajudando a reduzir a demanda de pacientes com sintomas respiratórios e acelerar o diagnóstico para o coronavírus.

Vitamina D é Fundamental para o Sistema Imunológico reduzindo a Mortalidade por Pneumonia entre Pacientes Internados

Mais da metade das brasileiras na pós-menopausa têm carência de vitamina D, Esse quadro é ainda mais grave em locais com menor intensidade solar, como na região Sul do país. É o que diz um estudo realizado em conjunto por pesquisadores da Unifesp e da Associação Brasileira de Avaliação e Osteometabolismo (Abrasso).

Para a pesquisa, foram analisados dados de 1.933 brasileiras com idades entre 60 e 85 anos que eram portadoras de osteopenia (redução da massa óssea) e osteoporose. As participantes residiam nas cidades de Recife, Salvador, Rio de Janeiro, São Paulo, Curitiba ou Porto Alegre. De acordo com os autores, a escolha das cidades foi proposital para analisar se havia uma associação entre latitude e concentração de vitamina D.

Os resultados do exame 25 hidroxivitamina D, que mede a concentração de vitamina D no organismo, mostrou que 51,3% das participantes tinham níveis inadequados (menor que 30 ng/mL) da substância. Em relação ao déficit por regiões, a carência de vitamina D (menor que 20 ng/mL) foi encontrada em 10% das mulheres nas cidades do Nordeste e chegou a 25% nas cidades do Sul do país.

Pessoas do grupo de risco como idosos, obesos, doentes crônicos, pessoas com doenças inflamatórias, má absorção intestinal ou que foram submetidas à cirurgia bariátrica também devem procurar um médico para analisar a necessidade de suplementação de vitamina D.

O sistema imunológico é beneficiado com a reposição de vitamina D. “Ela atua como um modulador do sistema de defesa do corpo”, explica a endocrinologista Cláudia Cozer, de São Paulo, diretora da Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica.

A quantidade certa da vitamina D permite que o corpo se defenda melhor, por exemplo, das gripes e resfriados de repetição. “Uma das células beneficiadas por ela são os linfócitos T, que agem sobre as células estranhas e infectadas por vírus”, diz o bioquímico Anthony Norman, da Universidade da Califórnia.

Pellets de Testosterona: Terapia Hormonal com Implantes Subcutâneo Seguros e Eficientes

Embora a testosterona geralmente seja considerada um hormônio masculino, o corpo feminino também produz naturalmente uma pequena quantidade e afeta a saúde geral da mulher.

A testosterona desempenha um papel vital na saúde mental e física de homens e mulheres. À medida que envelhecemos, os hormônios diminuem constantemente quando precisamos deles para combater a fadiga, as mudanças de humor, as infecções e a obesidade. A terapia de reposição de testosterona pode restaurar o equilíbrio hormonal aos níveis experimentados nos seus 20 anos, ajudando você a se sentir melhor e a se recuperar mais rapidamente de exercícios e lesões.

A Medicina de Reabilitação com terapia com pellets de testosterona pode ajudar a melhorar:

Força e resistência

Sono e fadiga

Função imunológica

Densidade óssea

Gordura corporal e açúcar no sangue

Desempenho esportivo

Clareza mental

Libido

Dores de cabeça

Risco de certos tipos de câncer

O que os pellets de testosterona fazem?

Freqüentemente chamado hormônio “masculino”, a testosterona está realmente presente em ambos os sexos, por razões muito importantes. A testosterona ajuda a regular muitas funções dentro do corpo, incluindo função cerebral, massa óssea, massa e força muscular, distribuição de gordura e desejo sexual. À medida que envelhecemos, torna-se cada vez mais importante manter nossos níveis de testosterona equilibrados para proteger contra fadiga, mudanças de humor, doenças e obesidade. A terapia com pellets é a maneira mais eficaz de preparar adequadamente seu corpo para gerenciar esses problemas.

Por que pellets de testosterona?

Os implantes são compostos de testosterona isomolecular, que se dissolve lentamente na camada de gordura logo abaixo da pele. Esta é a maneira mais segura e eficaz de administrar a testosterona no organismo. O hormônio é liberado a uma taxa constante, o que evita os altos e baixos não naturais de outras vias de administração.

Como são colocados os pellets?

Os implantes são um procedimento simples e indolor de 10 minutos em consultório. Depois que a pele é anestesiada com lidocaína, os pellets são inseridos na região superior das nádegas. É realizado a sutura com um ponto de nylon no local da inserção, que podem ser removidos após 7 dias.
Os implantes de testosterona geralmente duram 6 meses em homens e mulheres. Os níveis hormonais são avaliados após 30 dias para evidenciar os resultados.

Embora o corpo humano nunca tenha sido projetado para viver o quanto vivemos hoje, podemos ajudá-lo a ter uma longevidade saudável. Podemos criar um plano de tratamento personalizado para ajudar você ou seus familiares a aproveitar a vida novamente.

Saiba quais os Hormônios que interferem na Perda de Peso

Quando pensamos em emagrecer, dieta e atividade física são as duas coisas que logo vêm a cabeça. Mas o processo de perda de peso depende de muitos fatores, entre eles o bom funcionamento do nosso metabolismo, que é regulado por hormônios.

Sim, as substâncias produzidas por nosso corpo são essenciais para que o organismo trabalhe bem e os quilos na balança diminuam. A seguir, mostramos como algumas delas interferem na perda de peso e o que fazer para mantê-las equilibradas naturalmente. Mas atenção: se você desconfiar de algum problema hormonal, procure um médico. E, em hipótese alguma, faça suplementação por conta própria.

Cortisol
O que é Produzido pelas glândulas adrenais (ou suprarrenais), tem como função ajudar o organismo a controlar o estresse –físico, emocional ou ambiental –, estimular os batimentos cardíacos e manter o nível de açúcar no sangue constante. Basicamente, ele é liberado sempre que o cérebro identifica uma situação de perigo.

Como afeta a perda de peso O nível elevado de cortisol pode aumentar seu desejo por doces ou carboidratos refinados, já que seu corpo entende que precisa de energia rápida para encarar a situação de perigo que está enfrentando (mas muitas vezes não está). Ele ainda estimula o fígado a produzir glicose (açúcar) para aumentar o nível dessa substância no sangue, que por não ser usada depois é acumulada como gordura –especialmente na barriga.

Como controlar naturalmente Para diminuir o nível do hormônio do estresse, a principal recomendação é relaxar. É possível conseguir isso com um hobby, momentos de lazer na rotina e atividade física. No entanto, o treino deve ter até uma hora de duração, pois exercícios longos geram grande estresse no organismo e estimulam a produção de cortisol. Também é importante cuidar do sono e da alimentação.

GH
O que é Hormônio do crescimento, produzido pela hipófise, glândula localizada na parte inferior do cérebro, em picos no período noturno. Ele promove tanto o crescimento longitudinal ou linear (altura) quanto o das células –inclusive a dos músculos. Também estimula a transformação de gordura em energia.

Como afeta a perda de peso Ele é importante para o aumento do tecido muscular. E quanto mais músculos você tem, maior o seu gasto calórico em repouso.

Como controlar naturalmente É preciso fazer exercício físico, dando preferência aos treinos rápidos e intensos, e dormir bem, já que o GH é secretado de madrugada, por volta das 2h.

Grelina
O que é Hormônio do apetite, liberado momentos antes das refeições, para avisar ao cérebro que está na hora de comer. Também desempenha papel no controle energético (equilíbrio entre consumo e gasto calórico).

Como afeta a perda de peso No funcionamento normal, a grelina começa a subir quando o estômago está vazio e se estabiliza cerca de uma hora depois que a pessoa se alimenta. Quando ela está desregulada, seu apetite aumenta e você tende a comer muito mais do que precisa.

Como controlar naturalmente Não dá para atuar diretamente nesse hormônio, mas o que sempre ajuda é comer quando se tem fome e parar quando estiver saciado; cuidar do sono; praticar atividade física e ter uma alimentação equilibrada, evitando os regimes restritivos.

Insulina
O que é Hormônio fabricado pelo pâncreas, cujas principais funções são controlar a glicose (açúcar) na corrente sanguínea e transportá-la para dentro das células, para que seja usada como combustível ou, quando há sobra, armazenada como gordura.

Como afeta a perda de peso Existem várias razões para o aumento da insulina no organismo, sendo que as principais são estresse e má alimentação (consumo exagerado de carboidratos simples). O seu “mau funcionamento” pode estimular o estoque de gordura, em especial na barriga, e provocar o ganho de peso.

Como controlar naturalmente Praticar atividade física com frequência, consumir carboidratos complexos (grãos integrais, batata-doce) e evitar doces, pães e carboidratos refinados. Também é indicado em toda refeição ter uma fonte de proteína (carnes, ovo, leite) e gorduras boas (azeite, castanhas).

Leptina
O que é Hormônio da saciedade, secretado pelo tecido adiposo branco (células de gordura). É o principal sinalizador do estoque de gordura corporal. Ele avisa o centro de saciedade do cérebro, o hipotálamo, quando há bastante gordura armazenada, evitando, assim, que se coma além da conta. A leptina ainda ajuda a potencializar o metabolismo da glicose e das gorduras.

Como afeta a perda de peso Os níveis de leptina são mais baixos em pessoas magras e mais alto nas obesas. Porém, muitos que estão acima do peso têm um mecanismo de resistência ao efeito supressor do apetite deste hormônio. O que também desregula a sua produção é ficar longos períodos em jejum e comer menos do que o necessário.

Como controlar naturalmente Assim como acontece com a grelina, não dá par atuar diretamente neste hormônio. Porém, manter hábitos saudáveis –o que significa praticar atividade física regularmente e ter uma alimentação equilibrada, evitando dietas restritivas — é benéfico para manter o nível adequado dessa substância.

Melatonina
O que é Conhecida como o hormônio do sono, tem como funções regular o momento de dormir e participar da reparação das células. A melatonina é liberada no período noturno –está relacionada com a ausência de luz — e importantíssima para o bom funcionamento do metabolismo.

Como afeta a perda de peso Não dormir bem interfere em diversas funções do organismo, entre elas a produção de hormônios importante para o emagrecimento como GH, testosterona e grelina. A falta de horas adequadas de descanso também aumenta o estresse no organismo, o que estimula a produção de cortisol –que você já viu que atrapalha a perda de peso.
Como controlar naturalmente Dormir sempre no mesmo horário e manter o quarto tranquilo e totalmente escuro são maneiras de estimular a produção de melatonina. Procure desligar os aparelhos eletrônicos cerca de uma a duas horas antes de ir para a cama.

T3 e T4
O que são Hormônios produzido pela tireoide, glândula localizada no pescoço. O T3 (tri-iodotironina) e o T4 (tetra-iodotironina) são uma espécie de combustível para o corpo e responsáveis por regular todo o organismo, desde os batimentos cardíacos e a temperatura corporal até o raciocínio e a fertilidade.

Como afetam a perda de peso Quando estão baixos, o metabolismo fica mais lento, o que diminui o gasto calórico em repouso e pode levar ao ganho de peso. O descontrole do T3 e do T4 é causado por predisposição genética e doenças (Hashimoto e Graves).

Como controlar naturalmente Com o consumo de nutrientes que favorecem a sua produção, como magnésio (cereais de trigo), aminoácidos (presentes na carne, no leite e no ovo) e selênio (oleoginosas, salmão e ostra). Fora isso, é importante não fumar e evitar a ingestão sem orientação de remédios para emagrecer que tenham compostos com ação na tireoide.

Testosterona
O que é Hormônio masculino, produzido nos testículos e, em menor quantidade, nas glândulas suprarrenais. Atua na formação da massa muscular e na queima de gordura, oferece energia, melhora a memória e é responsável por promover as características físicas dos homens.

Como afeta a perda de peso É essencial para a construção e manutenção dos músculos, que elevam seu gasto calórico em repouso. Além disso, a testosterona ajuda a manter a disposição em alta para treinar.

Como controlar naturalmente Treinos mais curtos e intensos, principalmente os que levantam peso, e exercícios que recrutam grande volume de massa muscular (agachamento, levantamento terra, supino) estimulam a síntese de testosterona. Uma dieta rica em proteína magra, carboidratos complexos e gordura saudável também é importante. O estresse prejudica a produção de testosterona, por isso procure controlar a tensão.

http://www.dhiogoseronni.com.br

Longevidade Saudável e Reposição Hormonal

O médico norte-americano, Dr. Jeffrey Life ensina dieta e exercícios para ficar em forma e driblar a passagem dos anos.

Aos 59 anos, Jeffry estava obeso, hipertenso, com alto índice de colesterol e diabético. O médico norte-americano mal conseguia subir alguns andares de escada sem perder o fôlego. Quem vê Jeffry Life hoje, aos 74 anos, 30kg a menos, lutador de Krav Magá, halterofilista e praticante de pilates, mal consegue acreditar na mudança. “Estava em péssima forma. Hoje sou um ícone”, afirma.

O primeiro passo para essa transformação foi introduzir a prática de exercícios físicos diários e a modificação na alimentação. “Antigamente, eu comia fast-food, comidas com grande quantidade de açúcar. Agora eu como comidas com pouco açúcar e pouca gordura. E faço quatro ou cinco pequenas refeições ao dia”, ensina ele.

Além dos dois hábitos saudáveis, Dr Life, como gosta de ser chamado, conheceu a medicina antienvelhecimento e passou a praticá-la depois de comprovar seus benefícios no próprio corpo. “Corrigi o nível de testosterona e de hormônio do crescimento e levei meu físico a outro patamar”, atesta. Alcançou força, elasticidade, equilíbrio, reverteu a diabetes, tem índices normais de pressão e ganhou desempenho sexual. “Estou melhor do que quando tinha 30 anos”, diz.

O Poder dos Implantes Hormonais

Você não tem que colar adesivos de hormônios na pele, se “lambuzar” com cremes, ou lembrar-se de tomar pílulas. E ainda, você estará livre das variações hormonais de altos e baixos (efeito montanha-russa) no sangue, causadas pelos outros tipos de terapia.
Confira mais no nosso site -> http://www.dhiogoseronni.com.br
e fique sempre atualizado(a) com nossos conteúdos!

Menopausa e a Saúde da Mulher

As flutuações dos hormônios estrogênio, progesterona e testosterona podem causar irregularidades no período menstrual e se tornar um peso na vida da mulher. Outros sintomas com fogachos(calores no corpo), suores noturno, mudanças de humor, falhas de memória e dores de cabeça, podem começar a aparecer.

Testosterona e a Otimização da Saúde

A partir dos 30 anos o corpo do Homem passa a produzir cada dia menos testosterona, e em torno dos 40 a 50 anos, os níveis passam a cair drasticamente. Sinais e sintomas da baixa dos níveis de testosterona como falta de energia, diminuição da massa muscular, da densidade óssea e anemia. Baixos níveis de testosterona também sido associados com aumento de risco de doenças cardiovasculares, dislipidemia com aumento de triglicerídeos e colesterol, disfunção erétil, obesidade, diabetes e mortalidade.
Sua reposição melhora a densidade óssea, função cognitiva cerebral, níveis de energia, humor, é o que mantém você sentindo-se jovem e com vitalidade.
Permanecer saudável na velhice depende de vários fatores como estilo de vida, genética, reposição de sais minerais, vitaminas, reposição hormonal, atividade física, nutrição balanceada, controle da ansiedade do stress e um sono reparador.

http://www.dhiogoseronni.com.br

O Poder dos Implantes Hormonais

O que é Implante Hormonal ?

Você sabia que a terapia de reposição hormonal usando implantes sub cutâneos tem sido realizada há mais de 70 anos? De fato, muitos cientistas tem publicado artigos científicos com avaliações positivas dos benefícios desse tipo de terapia por jornais reconhecidos internacionalmente há décadas.

A terapia com implantes isomoleculares foi desenvolvida na Europa nos anos de 1930. E provou-se ser um tratamento excelente para as deficiências hormonais, especialmente na menopausa. Foi o médico altamente respeitado e pioneiro da endocrinologia, Dr. Robert B. Grennblatt, quem estudou e desenvolveu esse método, e o apresentou aos seus colegas norte -americanos em 1939. Hoje, médicos de todo o mundo, usam os implantes hormonais subcutâneos para restabelecer o equilíbrio hormonal em homens e mulheres de todas as idades.

E o melhor de tudo, de uma maneira natural, segura e eficaz.

Seguros, eficazes, e a conveniente Terapia de Reposição Hormonal por Hormônios isomoleculares (TRHI)
Quando administrados corretamente, o sistema de liberação dos implantes subcutâneos promove uma TRHI segura e eficaz. Na verdade esta via de administração permanence como a única via de liberação hormonal que mais se aproxima do que os ovários e testículos humanos fazem naturalmente. Esse método assegura a mesma liberação continua, 24hs por dia, 7 dias por semana, em pequenas dosagens semelhantes ao que o corpo humano costuma fazer. Você nao tem que colar adesivos de hormônios na pele, se “lambuzar” com cremes, ou lembra-ser de tomar pilulas. E ainda, você estará livre das variações hormonais de altos e baixos (efeito montanha-russa), no sangue, causadas pelos outros tipos de terapia. Os implantes hormonais ainda liberam hormônios no sangue,conforme a necessidade de cada momento do corpo humano,liberando mais ou menos hormônios quando muito ou pouco requisitados, por exemplo, durante exercicios e stress (muito) e no repouso (pouco), trazendo melhores e mais seguros resultados clínicos.

Evite a montanha-russa hormonal

Muitos pacientes em uso de cremes, pílulas, injeções e adesivos, descobrem que seu tratamento hormonal pode fazer surgir efeitos colaterais com o passar do tempo. Os métodos que não usam implantes, liberam uma quantidade de dosagem hormonal irregular e imprecisa, o que produz um efeito semelhante a uma montanha russa, com o sobe e desce nos níveis hormonais do sangue desses pacientes.

Ao longo do tempo, hormônios ”extras” que estavam armazenados no corpo, podem voltar ao sistema sanguíneo e isto pode causar uma progressiva sobre dosagem(doses em excesso). Esta situação pode causar uma cascata de desequilíbrios e problemas ainda piores do que os problemas iniciais os quais se tentava resolver!

A liberação contínua, de doses regulares e estáveis, realizada pelos implantes da maneira tal qual o seu corpo necessita, é o grande diferencial desta via de administração hormonal. Após décadas de experiência clinica, nós concluímos que esta é a única via de administração de reposição hormonal confiável ,quando se visa garantir níveis de hormônios no corpo de uma maneira otimizada e equilibrada.

Junte-se a mais de 100 mil pacientes em todo mundo que têm assumido o controle de sua saúde.

Agende sua consulta online hoje mesmo.