Resolving the issue with synchronization in old version

COMO A PSICOTERAPIA ANALISA A ENXAQUECA I Dr. Abílio Seronni

No auge de uma crise de enxaqueca, a pessoa acometida pelo mal necessita de ficar só, de isolar-se do “mundo”, no seu leito e num quarto escuro. É possível, assim, considerar-se que toda doença apresenta uma função implícita, a de reintegrar o “ser”, ou seja, a de fazer com que a pessoa se volte para si mesma, para o seu interior, para as suas reais fragilidades e necessidades e reflita sobre a sua vida, seu comportamento e hábitos nocivos.

A enxaqueca, muitas vezes, pode significar as “dores de cabeça” que a pessoa sente em relação a sua própria vida, angústias, trabalho, familiares e pessoas queridas, a descrença na solução dos problemas, sentimentos de culpa, peso de consciência, vazio existencial, fuga, desejos sexuais auto- reprimidos etc. Em nossa cultura, a dor de cabeça tem sido uma desculpa encontrada pelas pessoas para justificar o desinteresse por algo, a ausência em algum evento ou a não participação nele, a insatisfação, o desejo de ficar só (forma encontrada para ocultar angústias, infelicidade, depressão...), os conflitos interiores, as incoerências na própria conduta e no agir.

Não obstante, tantas vezes ser usada como pretexto, a dor de cabeça pode ser real. Alguns psicoterapeutas correlacionam à enxaqueca como sendo uma transferência da sexualidade para a cabeça, pois as pessoas que sofrem de enxaqueca (na maioria, mulheres), geralmente, apresentam também “dificuldades” em relação à sexualidade. Entre os que sofrem de enxaqueca, encontram-se os que, por alguma razão, suprimiram completamente a sexualidade de suas vidas, que transferiram os assuntos do corpo para o cérebro e aqueles ansiosos por convencerem aos demais da plenitude de sua vida sexual.

Estudos revelaram que certos pensamentos e figuras mentais (imagens) automaticamente acompanham as emoções de ansiedade, medo, tristeza, raiva, ciúme, etc. O terapeuta através da terapia cognitiva tem utilizado como forma de psicoterapia que enfatiza a importância do papel do pensamento sobre as nossas emoções, sensações físicas e comportamentos.

Você pode aprender a identificar esses tipos de pensamentos através da Terapia Cognitivo-Comportamental (TCC) e avaliar o quanto eles são válidos ou verdadeiros. Quando mudar gradativamente seus erros de pensamentos para uma direção mais realista, suas emoções negativas, como a ansiedade, raiva, tristeza, diminuirão e seus pensamentos então se educará para um enfoque mais realista.

Baseadas em técnicas de TCC, você poderá aprender, baseada em pressuposições, que as reações emocionais e comportamentais são aprendidas, ajudando você a desaprender suas reações indesejáveis e aprender uma nova maneira de reagir, desbloqueando todas as emoções negativas vivenciadas até agora.

Este é mais um novo caminho a seguir, uma nova oportunidade rica de crescimento e de mudança para uma vida mais feliz e livre de enxaqueca!


Já recebeu meu eBook? Não!
Cadastre seu email abaixo para receber:


PÁGINAS RELACIONADAS

REDES SOCIAIS